Acordei cedo, ainda estava escuro, um vazio por dentro e por fora, sei disso porque passei a mão sobre o lençol e não havia ninguém lá, ele não estava, meu corpo sente, é uma presença constante, em minha mente, em meu corpo, uma aura quente, fiquei assim desde sua chegada, quando me dou conta que essa presença é fruto dos meus desejos, fico assim, vazia, a verdade é que ele está em outro lugar, assim longe de mim e ainda sim eu me entrego dia e noite a ele, faz parte da minha rotina, das minhas necessidades, algumas coisas são necessárias para que possamos viver tranquilamente, essa tranquilidade eu nunca tive, esse amargo na garganta sempre esteve aqui, um nó no estômago, mal estar, não sei ao certo, só sei que nunca estive totalmente bem, até que ele chegou e me deu tudo isso, foi rápido, como se tivesse me conhecido e imediatamente agarrasse meus cabelos e me arrastasse por toda a vida dele, me levando para o seu trabalho, banho, almoços, aulas, passei a presenciar a vida dele, fora do meu corpo, sou sua mulher, comigo aconteceu o mesmo, foi assim, aceitei o fato que não sou mais só eu, somos nós, dois anjos sem juízo, entregues a essa coisa maluca chamada amor.

Ele nasceu de mim, veio do meio das minhas pernas, eu o gerei ainda quando eu era apenas um grão na barriga de minha mãe, e ele na da mãe dele, eu sabia que um dia nos uniríamos, e continuaríamos a trocar essas vontades, medos, ele pra me dar coragem e porralouquice e eu pra dar todo meu juízo a ele, um completando o outro, onde um termina o outro começa, e assim em tudo, frutos da mesma planta, animais da mesma raça, nos amamos como bichos, famintos e sedentos, sem medo de arrancar pedaços vivos um do outro, e eu aqui pensando nele, no corpo, na boca, no peito cabeludo coberto por uma camada fina de boa vontade e desejos putais, quem mais senão eu poderia saber do gosto forte da paixão desmedida? Ninguém.

Saio da cama, acendo um cigarro, ele pediu pra eu parar com isso, mas aqui sozinha é inevitável, o som da voz dele dizendo que me ama vai ecoando por todo o canto do quarto até que eu me acalme, eu tento repousar, mas não dá, meu corpo ferve, minha calcinha molha, meus dedos nervosos percorrem meus seios e começo a pensar que o lugar dele é aqui nessa cama, sinto sua mão, caminhando lentamente sob minhas coxas, e amor, como é bom, elas são fortes, mas nas tuas mãos são inofensivas, você me desarma com um beijo alucinado, beija falando putarias que nos glorificam, e eu me sinto uma deusa enquanto me alinho ao teu corpo, teu corpo todo suado, e eu me esfregando a você, peço mais, preciso de mais, então trago sua boca até minhas pernas, e vou mexendo, gemendo baixinho, de você eu quero tudo, não aceito pouco e você vai me dando o mundo, atráves da tua boca, meu ventre gerando o mundo, tua boca me dando tudo isso, eu pedindo mais, como se caso você parasse, o mundo também pararia de girar, tudo estático, eu e você na cama, o mundo mexe, tua boca mexe, meu sexo mexe, não quero nada parado, o mundo não pode parar, quero tudo em movimento e vou serpenteando em você até alcançar teu sexo, e você penetra bem mais do que minha carne, sente a menina, a mulher, a louca, a puta, o anjo que eu sou e ninguém vê.

Eu sei do êxtase, sei do gosto, do cheiro, sinto tudo em você, e você é só um homem, uma lua, uma estrela, você é deus, mexendo seu corpo despertando meus gemidos, nossos corpos conversando essa linguagem insana, sem propósito oficial, nada aqui é inteligível aos outros, somos só nós dois e os outros deus, Gil, Allen, suas vozes e poesias, nos cobrindo de magnitude ensolarada às 4h da manhã, tenho um sol no ventre para aquecer tua vida. Eu entregue, aberta, e você se derramando em amor pra mim.

Meu Deus, será que alguém percebe a glória disso? Será que os pais dele sabem do amor que ele carrega? Os amigos, será que os amigos sabem do ouro, da jóia que ele é? Este homem me enlouquecendo e ninguém é testemunha, o que será de mim se um dia isso tudo passar? Ele distante me enlouquecendo, cada abraço uma camisa de força, sugando minha energia e devolvendo em vida nova, ele está me renovando, meus olhos, meu sorriso, minha alegria que era falsa agora é viva, agora meu sorriso tem sentido e eu consigo sentir o calor pulsando a cada mergulho que ele dá dentro de mim, vou ofegante pedindo mais, e ele me dá tudo, você me dá tudo, somos um do outro agora, entregues à paixão, somos um o outro, uma pessoa só, acima da camada mortal, deus e deusa do nosso leito, ninho do mundo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s