Passei algum tempo distante, e ao reler tudo que saiu de mim e aqui depositei, senti uma saudade imensa do meu eu, sim, pois esta aqui sou eu, profunda, sentimental, e de verdade. Impressionante como pude amordaçar meus sentimento e confundir isso com maturidade. Somos o que somos e negar a própria natureza é cruel demais, foi como tomar a pilula azul, ir à Narnia ou Wonderland. Não! Na verdade acho que sou de Wonderland, imagens distorcidas e uma realidade alternativa. Como é doloroso sentir que todo aquele sentimento de autoconhecimento se foi, o que foi que eu fiz de mim? Engraçado que tudo que eu mais gostava em mim, esses parágrafos intermináveis, aquelas auto-análises infinitas, meu Deus, é tudo que meu marido mais odeia em mim, como foi que cheguei aqui? Sinceramente não sei, só sei que estou exausta e confusa, tentando recuperar o folego e o amor próprio, aprendendo mais uma vez a ressurgir das cinzas que eu mesmo criei.

Anúncios